Federação Mineira de Automobilismo
FMA Home     
 
 :: Calendário
 
. Geral

 :: Fórum FMA
 . Participar

 :: Contatos
 . Entrar em contato

 :: Quem Somos
 . Conheça a FMA

:: CBJD
Código Brasileiro de Justiça Desportiva

 
COnfederação Brasileira de Automobilismo
40 anos de FMA !
Publicidade
Publicidade
http://www.fma.com.br/banners/gifs/4bts.gif
  :: FMA 40 ANOS !

O sonho do autódromo de Minas Gerais continua. São anos de espera, sem que o objetivo seja alcançado. Os problemas econômicos por que vem passando o Brasil vêm impedindo sistematicamente que os aficcionados do automobilismo em Minas Gerais possam ver os grandes pilotos da terra mostrarem suas habilidades aqui mesmo em nosso estado. O estado vem ao longo dos últimos trinta anos, exportando talentos para todo o país, como foi o caso de Toninho da Matta, vencedor de pelo menos dez títulos de repercussão nacional, e mais recentemente para o mundo. Seu filho Christiano da Matta, e Bruno Junqueira, filho de José Alberto Junqueira, também muito conhecido em todo o país, quando disputava provas de turismo juntamente com Vinícius Pimentel e Clemente de Faria, são hoje a nata dos pilotos mineiros, pois vêm nos representando de forma muito competente pelas pistas de todo o mundo.

O automobilismo, entretanto, não se restringe apenas aos autódromos. Outras modalidades são praticadas em Minas, com a realização de vários torneios regionais e campeonatos estaduais disputadíssimos, como o caso do kart (com pelo menos três pistas de nível internacional), do rallye de velocidade, do cross country, da arrancada, do barródromo, e do fora-de estrada. Mesmo naquelas em que o autódromo é indispensável, temos pilotos que viajam pelo país disputando provas importantes, com foi o caso recente da 30ª edição das Mil Milhas de Interlagos, quando Eduardo Cunha e Emílio Camanzi obtiveram resultados expressivos na competição.

No ensejo das comemorações dos quarenta anos da FMA, completados em 2001, estamos apresentando ao público mineiro, em parceria com o Shopping Del Rey, veículos das diversas modalidades praticadas no estado e em autódromos fora de Minas, objetivando fazer com que todos os interessados pelo automobilismo possam travar contato direto com os pilotos, e conheçam de perto os equipamentos utilizados, assistam aos vídeos, e fiquem por dentro das novidades das pistas mineiras e brasileiras.

A diretoria da FMA deixa uma mensagem da maior relevância para todos os jovens amantes da velocidade: “O NOVO CÓDIGO DE TRÂNSITO ESTABELECEU PENALIDADES PESADAS PARA O EXCESSO DE VELOCIDADE. NÀO CORRA ESSES RISCOS. VENHA PRATICAR O AUTOMOBILISMO DE VERDADE, SEGUINDO AS NORMAS EMANADAS DA FIA E DA CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO, EM QUE A SEGURANÇA DOS PILOTOS E DO PÚBLICO SÃO PRIMORDIAIS PARA O SUCESSO DAS COMPETIÇÕES. ACESSE www.fma.com.br ou www.cba.org.br, E FIQUE POR DENTRO DE TUDO QUE ACONTECE NO AUTOMOBILISMO DO BRASIL E DO MUNDO”.


Pista

Há mais de meio século Belo Horizonte já sediava corridas de automóveis. As famosas “carreteras” disputaram emocionantes “pegas” no contorno da Lagoa da Pampulha em 1949. Em 1967, no então novíssimo Bairro Cidade Nova, uma nova corrida com a participação de pilotos famosos de São Paulo. As inesquecíveis corridas do Mineirão vieram em 1969 e 1970, apresentando ao público os grandes talentos mineiros que começavam a surgir: Toninho da Matta, Boris Feldman, Kid Cabeleira, e os saudosos Marcelo Campos, Ivaldo da Matta e Clovinho Banana. Daquelas corridas participaram também Emerson Fittipaldi, Wilson Fittipaldi, Nélson Piquet, Paulo Gomes, dentre outros pilotos famosos da época. Com a inexistência do autódromo, Toninho da Matta e outros valores que surgiram depois, como Robertinho Mourão, Clemente Faria, Vinícius Pimentel, José Alberto Junqueira, passaram a disputar campeonatos nacionais. O maior destaque ficou por conta de Toninho da Matta, vencedor de inúmeros títulos em várias categorias. No final da década de 80, a FMA realizou o torneio Rio-Minas, no autódromo de Jacarepaguá. Embora com um número de pilotos bem menor, Minas Gerais brilhava, com títulos conquistados por Toninho da Matta/Eduardo Cunha, Hueber Cimini Jr., e as participações agressivas de Ivan Mendes, dentre outras. Em 1995, Eduardo Cunha venceu o Campeonato Brasileiro de Corsa. Thiago Lenza de Uberlândia venceu de forma brilhante, na Fórmula Rio (Ford), tornando-se campeão brasileiro em 1998 e em 1999 o melhor estreante do Brasileiro de Fórmula Chevrolet.. Enquanto isso, Cristiano da Matta e Bruno Junqueira iniciavam suas carreiras internacionais. Ao passo que Cristiano vencia o campeonato sul americano de Fórmula 3 em 1998 e o da Indy Light americano em 1999. Bruno sagrava-se Campeão Mundial de Fórmula 3000. Agora os dois brilham na Fórmula CART, e se constituem no maior orgulho dos mineiros amantes da velocidade. Mais recentemente, tivemos o juiz-de-forano Igor Ciampi brilhando na Fórmula Chevrolet, tendo vencido a última etapa de 2001. Em 2002, estará firme na novíssima Formula Renault, em companhia de Almir Filho, também de Juiz de Fora, e proprietário da primeira equipe mineira de pista, sucessora da equipe Petrópolis, tendo como preparador o premiado Mauro Voguel. Na Formula Truck, o piloto Pedro Alves também vem dando seus shows nas provas realizadas nos vários autódromos brasileiros. Maiores informações podem ser obtidas sobre as várias modalidades de pista disputadas no Brasil, através do site www.cba.org.br.


Kart


No final de 1965, começou a ser escrita a história do kartismo mineiro, quando um grupo de jovens aventureiros decidiram introduzir o esporte no estado. O saudoso Márcio Jajour trouxe na volta de uma viagem aos EUA, o esquema de montagem de um kart 200cc, recém lançado por lá. Juntamente com o Zico, o mais antigo mecânico de Minas especializado na área, encomendou ao Sr. Mário da Mini em São Paulo, um quadro para o chassis e fizeram aqui em Belo Horizonte, o primeiro kart 200cc da América Latina. Já em 1967, Jajour tornou-se o primeiro piloto mineiro campeão brasileiro de kart, em Goiânia, conquistando o título na 200cc, enquanto Toninho da Matta sagrava-se vice-campeão brasileiro na 125cc, perdendo apenas para o Emerson Fittipaldi. As corridas eram realizadas na época, no circuito do Lagoa Seca Kart Clube, localizado onde hoje está o trevo da BR 040 para Nova Lima. Enquanto não ficava pronto o kartódromo Rio Verde, inaugurado no final da década de 1970, as provas eram realizadas nas ruas, praças e avenidas da cidade. Os palcos foram alternadamente a Av. Olegário Maciel próximo à atual Praça da Assembléia, e junto à Praça Raul Soares, e Praça Tiradentes onde correram vários pilotos paulistas, dentre eles, Emerson Fittipaldi. No interior, Poços de Caldas já possuía uma pista num dos Parques da cidade, e o primeiro kartódromo definitivo foi o de Uberlândia, inaugurado em dezembro de 1978, Nessa pista, Ayrton Senna sagrou-se campeão brasileiro em 1988. Em seguida, foi construído o de Ipatinga, em 1982, que também já sediou provas do campeonato brasileiro em 1991 e 1994. Em 1989, foi a vez de Juiz de Fora inaugurar o seu, e pouco depois também receber os kartistas de todo o Brasil no campeonato brasileiro de 1993. Em 1994 foram realizadas várias corridas no Ceasa de Contagem marcadas por pegas emocionantes.Em 1995 foi inaugurado em Belo Horizonte o Kartódromo Serra Verde. No ano seguinte o Kartódromo Toninho da Matta, em Betim foi inaugurado. Esse último sediou os brasileiros de 1997 e 2001, e tem sua pista considerada uma das melhores e mais seletivas do país. São muitos os pilotos mineiros que se destacaram e que se destacam no cenário nacional, dentre eles os campeões brasileiros, Bruno Junqueira, Cristiano da Matta Flávio Douglas Tito, João Lucas Laborne e Ricardo Teixeira, além de outros pilotos de alto nível, como Raphael Mattos, Marcelo Solmucci, Clemente Faria Júnior e Andherson Abreu. Mais Informações sobre o kart: www.fma.com.br, www.cba.org.br/kart, www.alkart.net e www.rbc.com.br.


Arrancada

Essa modalidade, que consiste na disputa de dois carros de cada vez, acelerando forte por ¼ de milha ou 402,25m. As primeiras provas dessa modalidade aconteceram ao lado da FIAT em Betim, em 1976, com a participação dos tradicionais protótipos, opalas, mavericks, passats, chevettes, e fuscas, entre outros. Algumas provas foram realizadas em seguida na Av. Santa Cecília, Bairro Ouro Preto, junto à Lagoa da Pampulha. Depois o retorno para Betim, junto à FIAT. Com o início da construção da Via Expressa, muitas provas foram realizadas na região próxima à Universidade Católica, com a fantástica afluência de um público ávido por muitas emoções. Duas provas chegaram a ser realizadas na Av. Antonio Abraão Caram, acesso da Antonio Carlos para o Mineirão. Essas provas também reuniram um público maravilhoso, e marcaram história no automobilismo de Minas. As dificuldades com a topografia local, e as dificuldades para isolamento de uma via tão importante, levaram de novo as provas para a Via Expressa, onde novamente muitas competições foram realizadas. Juiz de Fora também sediou, na década de 80, uma prova muito movimentada, às margens do Rio Paraibuna. O crescimento da cidade e conseqüentemente do volume de tráfego, novamente impediu que as provas ali continuassem. Uma única prova foi realizada mais recentemente na avenida que liga o CEASA à Via Expressa, e hoje carecemos de um espaço adequado em Belo Horizonte. Em 2001, foi realizada uma competição no Aeroporto de Pará de Minas, que superou todas as expectativas de público. Tivemos no dia 26 de janeiro uma prova movimentadíssima em Uberlândia, que acabou interrompida em função das chuvas, mas também com um enorme público. A última prova aconteceu no último dia 10 em Juiz de Fora, reunindo veículos de vários estados, e também com grande sucesso de público. Muitas informações sobre a arrancada podem ser encontradas na Internet: www.arrancadapr.net


Rallye

Embora algumas provas de regularidade já tivessem acontecido em Minas, na região do Circuito das Águas no final da década de 60 e início da década de 70, o esporte tomou impulso realmente a partir de 1974, quando foi fundado o Rallye Clube Minas Gerais. Os campeonatos eram apenas de regularidade, e Minas Gerais teve como principal destaque a Dupla Nélson Carneiro Costa e Eduardo Santana, bi-campeões brasileiros de 1982 e 1983, vencendo a hegemonia dos até então imbatíveis ralizeiros gaúchos. Outro destaque daquela época foi o casal Wellington Barros e Olívia Barros, sendo que no ano de 1981, foi disputado o primeiro campeonato brasileiro de rallye velocidade, nos mesmos moldes das provas do mundial de rallye. Os principais destaques mineiros dessa fase foram as duplas Eduardo Cunha, que formou dupla com os catarinenses Luiz Tedesco e João Gomes, em 1985 e 1986, e Toninho da Matta que então migrara das pistas para o rallye na mesma época, formando dupla com o gaúcho. Eduardo Cunha está de volta na nova fase do rallye nacional, tendo vencido o último campeonato mineiro na classificação geral e na categoria A6, e estará neste ano disputando também o campeonato brasileiro pela equipe FIAT. Depois tivemos como destaque Eduardo Zenóbio/Dalton Leal, em 1989, campeões brasileiros da categoria Novatos. Eduardo voltou a tornar-se campeão brasileiro em 1996 dessa vez em companhia do co-piloto Marcos Tucano, e vice-campeão em 1997, por ter deixado de participar de uma prova, enquanto Tucano vencia de novo o campeonato. Eles foram campeões mineiros de 2001 na categoria N2, e também estarão disputando o campeonato brasileiro de 2002, ao lado de Cleso Guimarães/Francisco Penteado, Glayson/Gladstone do Bom Conselho, Cláudio do Bom Conselho/Domingos Camonga e Hector Tomelin/Luiz Celso Filho. Vários outros pilotos mineiros estão negociando patrocínios para também disputar o brasileiro deste ano, juntamente com o mineiro que, em suas sete etapas promete muita emoção para o público. Este ano trará de volta também as provas de rallye turismo, disputadas exclusivamente em estradas pavimentadas, permitindo dessa maneira a participação de veículos de passeio comuns, a um custo extremamente baixo. Para saber mais sobre o rallye, acesse www.rally.com.br, www.planetaoffroad.com e www.geocities.com/adail/


Off-road

Das expedições informais através de trilhas próximas a Belo Horizonte, iniciadas em 1990, surgiram as competições do “off-road”, do tipo “raid” de regularidade, e logo depois, as do tipo “velocidade contra o relógio”, realizadas em pistas fechadas. Os carros desta modalidade são os utilitários de alta resistência, e o precursor foi o Jeep Willis, presente na vida dos brasileiros durante décadas. Atualmente vários modelos importados participam dos eventos, dentre eles o Suzuki Samurai, o Land Rover, e os nacionais JPX, Troller e Toyota Bandeirante. As provas são realizadas através de trilhas, riachos, subidas e descidas muito íngremes. O nível de adrenalina é altíssimo. A FMA supervisiona todas as competições. Em 2002, o Jeep Clube Minas Gerais, o Jeep Clube Morro Vermelho e o Jeep Clube Tração Minas estão realizando o Primeiro Campeonato Mineiro de Jipecross, iniciado no dia 10 último em Conselheiro Lafaiete. O Tração Minas estará realizando também a Copa Mineira de Off-road edição 2002. Em julho acontecerá também a 12ª edição do Rally Ibitipoca, tradicional prova que recebe pilotos de todo o Brasil, n a região de Juiz de Fora. Os destaques do off-road ao longo desses anos em Minas são Plínio Francisco Júnior, Fernando Lage, Marcos Prado, Daniel Prado, Leandro Figueiredo, Tunico, Paulo Fidélis, Cláudio Márcio Francisco, Luiz Carlos Nacif, dentre muitos outros. Para saber mais, acesse www.planetaoffroad.com

Cross-Country

Essa modalidade é relativamente nova no Brasil. O primeiro título mundial foi conseguido em 2001 pela dupla paulista Reinaldo Varella/Alberto Fadigatti, com o troller, também brasileiro. Apesar de novo, o cross-country vem alcançando enorme sucesso no país, após a criação do Rallye dos Sertões e da Copa Baja, e outras competições do gênero. Minas Gerais conta hoje com uma das principais equipes da modalidade, a Chevrolet Rally Team, fundada em Belo Horizonte, e que conta atualmente com as duplas Edio Fucther/Milton Pereira e Riamburgo Ximenes/Rogério Almeida. Essa equipe, representada na exposição pela S10, foi vencedora das edições 2000 e 2001 do Rallye dos Sertões, e campeã brasileira de Rally Cross-Country 2001. Em 2002, estará disputando novamente o campeonato brasileiro, e em janeiro passado venceu com a dupla Riamburgo/Rogério, o tradicional “Cerapió”, realizada no Ceará e Piauí, com a participação de 90 carros. Para o campeonato de 2002, está prevista a participação de 80 carros por prova, em média. O Rallye dos Sertões deste ano, que será realizado em julho, já conta com mais de 60 carros inscritos e confirmados. Alguns pilotos mineiros estão se iniciando no cross-country, e temos muitas promessas para um futuro próximo, como Luiz Carlos Nacif/Leandro Barbosa, que já venceram com o Troller na categoria TT1 do Rallye dos Sertões 2000, Anderson Guimarães/Francisco Penteado, Carlos Leone/Flávia Silveira, Fernando Sanches/Alberto Sanches, Luiz Flávio Cabral/Thiago Sales, além da dupla de Uberlândia, Luiz Alexandre Garcia/José Maurício Araújo. Maiores informações no www.planetaoffroad.com.


Velocidade na Terra

Caçula das modalidades automobilísticas disputadas em Minas, a velocidade na terra vem crescendo muito. A pista improvisada na divisa de Contagem e Betim em 1999, despertou o interesse de muitos pilotos, alguns inclusive que já haviam participado até de corridas de pista. Em 2000, foi disputada a Copa Grande Beagá de Velocidade na Terra, com provas em Pará de Minas e Betim, no circuito localizado junto ao Kartódromo Toninho da Matta.Em seguida, algumas provas foram disputadas em Contagem e Rio Casca. O interesse pelo barródromo crescia cada vez mais. Em 2001, aconteceu o primeiro Campeonato Mineiro de Velocidade na Terra, com etapas em Rio Casca, Contagem, e Sete Lagoas. Como as chuvas foram muito intensas no final do ano, a decisão acabou tendo que ser adiada e somente aconteceu no último dia 10 de março, em Divinópolis. O Campeonato Mineiro de 2002 prevê a realização de sete etapas, no Barródromo de Santa Luzia. A primeira será no dia 07 de abril. Os maiores destaques do barródromo são os pilotos Anélio e Wilton Pena (pai e filho), Miguel Ângelo Mallaco, Carlinhos BR, Ivo Barroso, Rafael Assis, Bernardo Mattos, Eduardo Pimenta, Wanderson Freitas, Válber Coelho e Alessandro Abreu, além dos pilotos de autocross, que integram uma categoria do campeonato, Héricles Prata, Eduardo Moreira, Geraldo Eugênio (Ravengar), e Márcio Soares


VOLTAR >>
 

.

Endereço:

Av. Olegário Maciel, 311
Sala 105 - Centro
Belo Horizonte - MG
CEP: 30180-110

TeleFax:
(31) 3271-5840

Atendimento:
13:00 às 18:00h

.

Esta seção do nosso site é dedicada aos jornalistas que fazem a cobertura do automobilismo mineiro.

Entre e confira!
este é um produto: wcomdesign ®